Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘José Luiz Gomes do Amaral’

Drs. Cid Célio Jayme Carvalhaes (FENAM-BRASIL), Eduardo Santana (FENAM-BRASIL), José Luiz Gomes do Amaral (AMB-BRASIL), Henrique Batista e Silva (CFM-BRASIL), José Manuel Silva (OMP-PORTUGAL)Roberto Luiz D'Ávila (CFM-BRASIL) e Mário Antonio Ferrari (FENAM-BRSIL)

Entidades participantes do IV Encontro do Fórum Iberoamericano de Entidades Médicas, realizado em Córdoba (Espanha), de 1º a 3 de junho, revisaram e renovaram seus compromissos com a sociedade, os cidadãos e também com a profissão e a formação, no que diz respeito à migração médica, programas de proteção social para os médicos e atendimento integral para o médico doente. No decorrer desta reunião foi aprovado, no dia 3 de junho, por unanimidade, o “Manifiesto FIEM 2011 por la Colegiación Universal de los Médicos”. O documento defende que se promova e reforce a saúde pública, bem como o uso socialmente responsável dos recursos destinados a ela. Nesse sentido, a defesa das organizações profissionais de médicos e promoção destas em países com dificuldades é essencial. Outro tema de destaque foi a necessidade de se fortalecer as redes de organizações médicas ligadas ao Fórum, incluindo a comunicação eficaz e o intercâmbio de informações. A rede ajudará na regulação da migração de médicos e na avaliação das conseqüências deste fenômeno nos países de origem e de acolhimento. Um dos passos para o controle migratório seria um registo de instituições acadêmicas e escolas de formação médica nos diferentes países que integram o FIEM. Os parcitipantes avaliaram que as baixas laborais, incapacitações e inabilitações profissionais dos médicos, relacionadas a distúbios psíquicos ou dependência de substâncias tóxicas têm, na maioria dos casos, um tratamento eficaz através de programas de atenção integral ao médico, como o programa que está sendo implantado na Espanha e pode ser exportado para outros países do FIEM. Nesse sentido, foi sugerido um estudo com o objetivo de fazer um diagnóstico real da saúde dos médicos no contexto geral dos países do FIEM. Será criado um Comitê, que atue de forma estável e duradoura no intervalo entre os encontros do Fórum para cuidar ininterruptamente destes assuntos.

MANIFIESTO FIEM 2011 POR LA COLEGIACIÓN UNIVERSAL

Fonte: CFM

Anúncios

Read Full Post »

A Federação Nacional dos Médicos, através de seu presidente, Cid Carvalhaes, do II vice-presidente, Eduardo Santana, e

Dr. Cid Carvalhaes (Fenam) Dr. Eduardo Santana (Fenam) Dr. José Luiz (AMB) Dr. Henrique Batista (CFM) Dr. José Manoel Silva (OMP) Dr. Roberto D'Ávila (CFM) Dr. Mário Ferrari (Fenam)

do secretário geral, Mario Antonio Ferrari, participou na cidade de Cordoba, na Espanha, do IV Forum Ibero Americano de Entidades Médicas. O evento foi organizado pelo Conselho Geral das Faculdades de Medicina e do Colégio de Médicos de Córdoba, com a participação da Ordem dos Médicos de Portugal e Confederação Médica da América Latina e do Caribe (CONFEMEL). O IV Fórum Iberoamericano de Entidades Médicas foi considerado pelos organizadores como a oportunidade ideal para que todos os países membros compartilhassem experiências em temas que envolvem os direitos dos cidadãos e o compromisso profissional e ético dos médicos. No evento, realizado de 1 a 3 de junho, defendeu-se a regulamentação da medicina universal, que depende de todos os profissionais cumprirem suas obrigações. Assim, o licenciamento universal foi o tema principal do manifesto emitido no primeiro dia da IV Reunião do Fórum, com as delegações de organismos profissionais de Espanha, Portugal e países da América Latina. “É evidente que se trata de um interesse público, neste caso, a saúde. O entendimento é de que a transposição de uma diretiva relacionada aos serviços da União Européia não pode servir de pretexto para desregulamentar a profissão médica, que é uma garantia total que a prática profissional está sendo feita com os critérios de competência, qualidade e segurança”. Como alertou a OMC, “seria um erro tentar desregulamentar a profissão, como parece pretender algunas setores da administração central. A única maneira de controlar, regular e fiscalizar as obrigações éticas e profissionais é que essas obrigações sejam aplicadas a todos os profissionais. A única possibilidade de regulação universal é que todos cumpram os mesmos requisitos”.

Fonte : Imprensa FENAM, com informações do IV FIEM

Read Full Post »

AMB na presidência da Associação Médica Mundial

José Luiz Gomes do Amaral, presidente da AMB, foi eleito por aclamação para presidir a Associação Médica Mundial (WMA) em 2012. A eleição ocorreu em 16 de outubro, durante a Assembleia Geral da WMA, realizada em Vancouver, Canadá. É a terceira vez que um brasileiro assume o cargo máximo na entidade. O cirurgião catarinense Antônio Moniz de Aragão presidiu a WMA em 1961 e o dermatologista paulista Pedro Kassab em 1976. 

Amaral representa o Brasil como integrante do Conselho da WMA desde 2005 e, há três anos, preside o Comitê de Assuntos Médicos Sociais (SMAC). Ele foi responsável por trazer ao Brasil relevantes discussões sobre pesquisas clínicas, como a revisão da Declaração de Helsinki (agosto de 2008), o uso de placebo em pesquisa médica associada ao tratamento (janeiro de 2010), e o Seminário Internacional de Resiliência Médica (agosto de 2010).

Com a realização da Conferência Doutores do Ambiente, em novembro de 2009, ajudou a disseminar a Declaração de Delhi sobre saúde e mudança climática. Dana Hanson, presidente da WMA na época, compareceu ao evento realizando a palestra de abertura. Yoram Blachar, presidente da WMA em 2008, também visitou o Brasil neste ano, na abertura da versão brasileira do Curso de Formação de Lideranças Médicas, adaptação de uma iniciativa da WMA.

Ainda no âmbito internacional, atualmente Amaral preside também a Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP), cargo assumido em março deste ano, durante o IV Congresso da CMLP, realizado na cidade de Maputo, em Moçambique. Representando o Brasil na Confederação Médica Latino-Americana e do Caribe (Confemel) e no Fórum Iberoamericano de Entidades Médicas, Amaral tem trabalhado pela integração das instituições de representação médica nesse contexto.

O recém-eleito presidente da WMA é especialista em Anestesiologia e Medicina Intensiva. É professor titular da disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva da Universidade Federal de São Paulo. Desde 1994, é responsável, no Hospital São Paulo (Unifesp), pelos Centros de Ensino e Treinamento da Associação de Medicina Intensiva Brasileira e da Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Gomes do Amaral foi reeleito presidente da Associação Médica Brasileira para a gestão 2008-2011 e apresenta destacado trabalho em defesa da qualidade da assistência e da dignidade profissional do médico; dos projetos de lei para regulamentar o exercício da profissão e para implementar Plano de Carreira, Cargos e Salários; e ainda na consolidação do sistema de hierarquização de procedimentos médicos. Ele também presidiu da Associação Paulista de Medicina no período 1999-2005.

Durante seu discurso, Gomes do Amaral falou sobre o desafio de presidir a WMA, entidade que congrega representantes de 96 países.

“Trata-se não apenas de expressar a visão individual construída ao longo de anos de debate e intenso convívio com os senhores, mas, sobretudo, de expressar o pensamento comum dos 96 países que integram a WMA”, destacou.

Ele também destacou a importância da convivência com os ex-presidentes da Associação Médica Mundial.

“Tive o privilégio de conhecer e acompanhar o brilhante trabalho de Yank Coble, Kgosi Letlape, Nachiappan Arumugam, Jón Snædal, Yoram Blachar e Dana Hanson. Convivi com Pedro Kassab e Jaroslav Blahos (República Tcheca), distintos colegas que tão bem expressam o espírito empreendedor desta instituição”. Presidente Eleito da Associação Médica Mundial, Amaral será empossado em solenidade agendada para a próxima Assembléia da WMA, que acontecerá em Montevidéu, Uruguai, em outubro de 2011.

Fonte : AMB

Read Full Post »