Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘AMG’

NOTA DE REPÚDIO – Possibilidade de fechamento de leitos de UTI

image

As entidades médicas signatárias manifestam total repúdio em face da noticiada possibilidade de determinação por parte da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás – SES/GO e do Instituto Sócrates Guanaes – ISG em determinar o fechamento da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica do Hospital de Doenças Tropicais – HDT, conforme veiculado no Jornal “O Popular”, em 11 de maio de 2016, página 18.

É público e notório que o Hospital de Doenças Tropicais – HDT é referência no tratamento de doenças infecciosas e dermatológicas como HIV/AIDS, tuberculose, meningite, entre outras, sendo o primeiro e único hospital de doenças infecciosas com selo de qualidade de Acreditação (ONA 1), isto fazendo em relação aos atendimentos pediátricos, inclusive em sua UTI Pediátrica.

Há 39 (trinta e nove) anos o HDT vem prestando relevantes serviços à saúde pública, com atendimento eletivo e de emergência de média e alta complexidade devidamente referenciado pelos Complexos Reguladores Estadual/Municipal, em doenças infecto-contagiosas, seja para adultos, crianças e adolescentes, sendo absolutamente inconcebível e inaceitável que este tipo de atendimento sofra dissolução de continuidade e a população fique desassistida.

Importante enfatizar que a maior parte dos pacientes são carentes de recursos e meios de tratamento adequados, ainda mais quando se constata que inexiste alternativas de atendimentos pediátricos nos casos de tratamento de doenças infecto-contagiosas, sejam públicas ou privadas.

Além disto, a unidade é importante para educação e pesquisa de novos profissionais de saúde na área de enfermagem, pediatria e infectologia pediátrica.

Assim, as entidades médicas signatárias da presente conclamam toda a sociedade a se posicionar em defesa da Saúde e repudiar a eventual determinação de fechamento da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do Hospital de Doenças Tropicais – HDT, posto que, do contrário, muitos e muitos pacientes ficarão sem a devida e adequada assistência pediátrica.

Goiânia, 13 de maio de 2016.

Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás – CREMEGO

Sociedade Goiana de Pediatria – SGP                             

Associação Médica de Goiás – AMG

Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás – SIMEGO

Fonte: CREMEGO

Anúncios

Read Full Post »

ImagemNota contra a “importação” sem critérios de médicos estrangeiros

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego), a Associação Médica de Goiás (AMG) e o Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego) repudiam a absurda proposta de Governo Federal de “importar” para o Brasil médicos estrangeiros ou brasileiros portadores de diplomas de medicina obtidos no exterior sem obedecer aos critérios legais para a revalidação de seus títulos.
Deste grupo, constam os 6 mil profissionais formados em Cuba, conforme anunciado pelo Ministro das Relações Exteriores. A confirmação dessa medida configura uma agressão à lei brasileira; um desrespeito ao Revalida – exame criado para avaliar a competência daqueles que querem atuar no país -; e uma ameaça à saúde da população, que, assim, fica a mercê de pessoas com formação duvidosa e que, no limite, podem até nunca ter estudado Medicina.
O argumento usado pelo Governo Federal para defender a entrada irregular no Brasil dessas pessoas é o suposto déficit de profissionais no interior e nas periferias das grandes cidades brasileiras. Trata-se de argumento falso, que busca ocultar outros interesses, pois o Brasil conta com número suficiente de médicos para atender suas demandas internas, sendo que as lacunas que existem decorrem da falta de ações que estimulem a migração e a fixação desses profissionais nas áreas de difícil provimento.
Se faltam médicos nessas regiões, deve-se à falta de remuneração digna e de estrutura que lhes dê condiçõesadequadas de trabalho, pois nestes locais não há leitos, equipamentos, materiais, medicamentos e instalações. Por outro lado, sobram pacientes que deveriam ter seu direito à saúde assegurado pelo Governo, como determina a Constituição.
O Cremego, a AMG e o Simego rechaçam veemente essa proposta e defendem mais investimentos para o SUS, com a melhoria da remuneração do médico e de suas condições de trabalho. Neste sentido, propõe-se a criação de uma carreira de estado para os médicos para suprir esta dificuldade de acesso à assistência, um problema real que deve ser combatido. Somente assim, será possível garantir a presença e a permanência dos médicos nos vazios assistenciais, com atendimento digno e de qualidade.
Outras propostas não passam de falácias, que afrontam a classe médica, desrespeitam a Nação e ameaçam seriamente a saúde da população, em especial a sua parcela mais carente.

CREMEGO – AMG – SIMEGO

Fonte – O Popular

Read Full Post »